Posts Tagged 'latim'

Lato Sensu e Stricto Sensu

Lato sensu é, literalmente, em sentido largo, amplo. Opõe-se a stricto sensu que significa em sentido restrito. De acordo com o Prof. Dr. Cláudio Moreno, essas expressões servem para ampliar ou estreitar o âmbito de abrangência de um determinado conceito. Há sociólogos, por exemplo, que distinguem a “família lato sensu”, que engloba todos os ascendentes e descendentes de um cidadão, da família “stricto sensu”, que se refere apenas à célula formada pelos dois cônjuges e seus filhos. Há estudiosos que falam da “jurisprudência lato sensu”, isto é, o conjunto de todas as decisões jurisdicionais e da “jurisprudência stricto sensu”, ou seja, as decisões aplicáveis a um determinado tipo de caso. Essas expressões também são usadas na pós-graduação, nesse caso, para distinguir os cursos stricto sensu, ou seja, o mestrado e o doutorado, dos cursos lato sensu, que são os de especialização. Quanto à escrita, sempre que se emprega uma expressão latina, é recomendável grafá-la em itálico.

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600

Expressão latina “A posteriori”

Assim como seu oposto a priori, a posteriori faz parte de uma expressão maior, que significa por um raciocínio posterior à experiência, indicando que se trata de um raciocínio baseado no que veio depois. Num raciocínio a posteriori, é preciso apoiar-se em fatos obtidos pela observação ou pelo experimento. Veja a frase: Quem culpa uma pessoa sem avaliar os fatos que motivaram seu comportamento, pode descobrir, a posteriori, que cometeu uma injustiça. Nesse contexto, a posteriori tem o sentido de após exame, análise, verificação. Se você quiser ir além, veja as acepções dessa expressão no campo da Filosofia, por exemplo, citadas pelo dicionário Houaiss da Língua Portuguesa.

Fontes:
http: http://www.sualingua.com.br
Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600

Expressão latina “post scriptum”

Post Scriptum, cuja abreviatura é P. S. em Latim, significa literalmente “escrito depois” ; originariamente, indicava algo que julgamos necessário acrescentar a uma carta após o seu encerramento. Com o tempo, foi-se percebendo que esta fórmula, além de servir para corrigir nossos lapsos de memória ou simplesmente informar que haviam ocorrido alterações depois que tínhamos dado a carta por concluída, poderia servir como uma sutil estratégia retórica: depois de percorrer todo o corpo do texto, o leitor se depara com uma idéia posta em destaque, plantada ali por nós com aquela mesma aparente despreocupação com que lançamos, na fala, aquele temível “Ah! Antes que eu me esqueça… “, que sempre anuncia o que de mais importante temos a dizer.  É justamente esse efeito “amplificador” do post scriptum o que explica a sua utilização nas cartas e mensagens escritas no computador, em que poderíamos simplesmente incluir no texto o que tínhamos esquecido. O Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa registra a forma pós-escrito.

Fontes:
http: http://www.sualingua.com.br/04/04_post_scriptum.htm
Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600