Posts Tagged 'tempos verbais compostos'

Chegado/Chego, Trazido/Trago

Dia desses alguém disse: Devíamos ter trago o som junto.  Daí surgiu a dúvida: devíamos ter trago? Não seria trazido? A moderna gramática portuguesa, do professor Bechara, traz uma lista de verbos que admitem dois particípios, o particípio regular e o irregular.  Porém existem verbos, que segundo a gramática normativa, admitem apenas um particípio, como é o caso dos verbos chegar com o particípio chegado  e trazer com o particípio trazido, que são empregados com os verbos ter e haver nos tempos compostos.  Veja: Nós havíamos chegado à festa.  No entanto, são cada vez mais comuns construções com formas irregulares, inclusive com verbos que não possuem a forma irregular, como é o caso de chegado-chego e trazido-trago.  Isso ocorre porque as pessoas associam esses verbos com aqueles que possuem a forma irregular e acabam utilizando essa forma reduzida.  Daí o porquê de as pessoas fazerem esse uso, como o que aconteceu com o verbo trazer na frase que citamos no início do programa: Devíamos ter trago o som junto.  Com o verbo chegar, já ouvimos o uso do particípio chego inclusive em programas de televisão, como por exemplo: O resultado já devia ter chego.  Embora o uso dos particípios trago e chego não estejam registrados nas gramáticas normativas, é cada vez mais comum esse emprego.

Fonte: Gramática da Língua Portuguesa – Evanildo Bechara

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600

Eu não tinha pago ou pagado a conta?

Dúvidas como essa são comuns, já que toda língua em uso está em movimento e acaba se modificando . Essas mudanças são mais rápidas quando se trata da linguagem oral.  Já a norma padrão, muda mais lentamente.  Bem, vejamos nossa questão inicial: tinha pago ou tinha pagado? O verbo pagar possui dois particípios: pagado e pago.  O particípio é essa forma nominal do verbo, geralmente terminada por ado ou ido  Pagado se usa com os verbos ter e haver e pago com ser estar.  Na linguagem atual, no entanto, há a preferência pelo particípio pago em qualquer situação.  Sendo assim, temos:
O curso já foi pago. O aluno ainda não tinha (ou havia) pago o curso.  Obviamente, também seria legítimo dizer: tinha pagado . O fato é que podemos escrever sem hesitar: tinha pago ou havia pago, uma vez que essa forma já aparece registrada nas gramáticas normativas, como a do Prof. Bechara, por exemplo.

Fonte: Moderna Gramática Portuguesa de Evanildo Bechara

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600

Ganho e ganhado

Numa conversa com um grupo de pessoas, alguém disse: Ele tinha ganhado a aposta.  Surgiu então a questão: é ganhado mesmo? ou ganho? Hoje vamos falar do particípio, essa forma norminal do verbo, geralmente terminada em ado ou ido.
A moderna gramática portuguesa, do professor Bechara, traz uma lista de verbos que admitem dois particípios.  Normalmente o particípio regular, como ganhado, é empregado com os verbos ter e haver nos tempos compostos.  Veja: Nós havíamos ganhado o prêmio.  Ela tinha ganhado aumento de salário . No entanto, é cada vez mais comum, na língua, construções com as formas irregulares, como ganho, também com os verbos ter e haver, e não somente com os auxiliares ser e estar . Daí a hesitação de quem disse “Ele tinha ganhado a aposta”.  Naturalmente essa é uma forma legítima, registrada pela norma-padrão, mas também seria legítimo dizer : ele tinha ganho a aposta, forma que também aparece registrada na gramática do professor Bechara . Assim, é provável que, no futuro, outros verbos apareçam registrados com as duas formas de particípio, ou até que a forma regular como ganhado e outras similares tenham desaparecido, já que essa parece ser uma tendência na língua.

Fonte: Moderna Gramática Portuguesa de Evanildo Bechara

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600