Posts Tagged 'ensino de língua'

Letramento

Um dos fatores que levam ao surgimento de novas palavras na língua é a necessidade de se nomear algo novo, seja um invento, uma idéia, um fenômeno. Hoje falaremos de um vocábulo que tem sido empregado com freqüência nos últimos anos, principalmente na esfera da educação, é o letramento.
Para explicarmos o sentido dessa palavra e o seu surgimento, recorremos à Profa. Dra. Magda Soares. De acordo com a pesquisadora, à medida que um número cada vez maior de pessoas aprende a ler e a escrever, que o analfabetismo vai sendo superado, um novo fenômeno se evidencia: não basta aprender a ler e a escrever. Muitas vezes as pessoas se alfabetizam, mas não se envolvem com práticas sociais de leitura e de escrita, isto é, não lêem livros ou jornais, não preenchem formulários, não redigem cartas ou e-mails… No entanto percebemos que nossa sociedade está cada vez mais centrada na escrita, daí a necessidade de as pessoas incorporarem as práticas de leitura e de escrita.  Esse novo fenômeno que surgiu foi nomeado de letramento que é, portanto, o estado ou condição de quem não apenas sabe ler e escrever, ou seja, foi alfabetizado, mas cultiva e exerce as práticas sociais que usam a escrita. Certamente quanto mais cultivarmos essas práticas, maior poderá se tornar nossa compreensão do que está em nossa volta e nossa participação na sociedade.

Fonte: Letramento: um tema em três gêneros – Magda Soares

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600

Anúncios

Erro? Podemos dizer que alguém fala errado e por quê?

Você já pensou na força que as palavras erro e errado possuem? O que pensa uma criança na escola que ouve o professor repreendê-la por falar “errado”? Será que realmente está errado?
Na verdade, a Gramática Tradicional gerou uma noção folclórica de erro.  Para a gramática e para muitos gramáticos, tudo o que não estiver de acordo com a gramática normativa é errado .
É interessante nos lembrarmos de um exemplo que o lingüista Marcos Bagno usa e que cabe muito bem para explicar a noção de erro . Ele compara a gramática tradicional a um sapatinho de cristal.  O que muitos gramáticos querem é que as pessoas usem o sapatinho de cristal para tudo: correr, ir ao mercado, ir à praia e para todo o resto . O mesmo se aplica à gramática, o que se quer é que as pessoas falem todo o tempo de acordo com suas regras e normas, regras essas que muitas vezes não cabem para o local e a situação em que estamos . Pois bem, o grande problema com essa noção ultrapassada de erro é que, como os estudos lingüísticos modernos têm revelado, simplesmente não existe erro em língua . Existem, sim, formas de uso da língua diferentes que divergem da tradição gramatical.
Sendo assim, a criança que o professor repreende por falar errado, na verdade só está usando uma variedade lingüística diferente da variedade padrão . Naturalmente não estamos querendo dizer que não se deva ensinar o padrão da língua . Queremos apenas enfatizar que a linguagem da criança precisa ser respeitada e que, na escola, ela tenha acesso à norma padrão de maneira crítica.

Fonte: Português ou Brasileiro: um convite à pesquisa – Marcos Bagno

linguaportuguesa@furb.br
(47)3321-0600